A (IN)EFETIVIDADE DO CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE E AS NORMAS CONSTITUCIONAIS E INCONVENCIONAIS SOB A ÓTICA DA SUPREMACIA CONSTITUCIONAL BRASILEIRA

Autores

  • Marcus Vinícius Nogueira Rebouças Universidade de Fortaleza

Resumo

Resumo: Este estudo pretende apresentar a (in)efetividade do controle de convencionalidade como mecanismos de harmonização entre ordenamentos jurídicos interno e externo, notadamente, em face de convenções e de tratados internacionais de direitos humanos incorporados pelo Brasil, seja com status de emenda constitucional, seja com natureza supralegal, especialmente, a CADH. O descumprimento de normativas internacionais já levou o Brasil a ser responsabilizado e normas constitucionais terem sua inconvencionalidade declarada a nível internacional. Assim, as razões da (in)efetividade desse mecanismo no Brasil ocasiona tensora entre os ordenamentos jurídicos interno e externo e o princípio da supremacia constitucional é utilizado como vetor de argumento de sua inaplicabilidade.
Palavras-chave: Controle de convencionalidade; Supremacia constitucional; Inefetividade.

Publicado

31-12-2023

Como Citar

Marcus Vinícius Nogueira Rebouças. (2023). A (IN)EFETIVIDADE DO CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE E AS NORMAS CONSTITUCIONAIS E INCONVENCIONAIS SOB A ÓTICA DA SUPREMACIA CONSTITUCIONAL BRASILEIRA. Revista Ibérica Do Direito, 3(2). Obtido de https://revistaibericadodireito.pt/index.php/capa/article/view/119

Edição

Secção

Artigos Completos